OBITUÁRIO: IEOH MING PEI.

Eu gosto bastante de obituários, principalmente quando é alguém não muito conhecido. Fica-se sabendo detalhes da vida, que somente passamos a saber com a morte.

É o caso do arquiteto chino-americano Ieoh Ming Pei, nascido em Cantão na China, em 1917. Abriu seu próprio escritório em 1955, aos 38 anos, um pouco tardio para os nossos padrões, mas se estabeleceu fazendo projetos inicialmente para William Zeckendorf1, um destemido empreendedor de NY. Em 1983 recebe o prêmio Pritzker2 , o mais importante prêmio da arquitetura mundial.

Em 1989 desenvolve a pirâmide  para o Museu3 Louvre4, o presidente François Mitterrand, que dispensa a licitação, contratando diretamente o arquiteto. Talvez sua obra mais controversa e sobre ela que exatamente quero falar.

DESENHO ORIGINAL DE PEI PARA O LOUVRE

Nos anos 80 ele se destacou em meio aos prédios nos estilo pós-moderno, algo que vemos hoje com um certo desagrado, propondo uma arquitetura de fortes linhas geométricas e acentuando os volumes. Na faculdade não vimos, nem analisamos seus trabalhos. Aliás as faculdades de arquitetura (pelo menos as que eu conheço) se dedicam pouco a analisar a obra de arquitetos, menos ainda de arquitetas (vide Zaha Hadid, Neri Oxman, Momoyo Kaijima ou Norma Merrick Sklarek)

O museu do Louvre é um dos primeiros e mais antigos do mundo, recebe mais de 8 milhões de visitantes por ano e está distribuído em mais de 70.000 ² de área. No século XVII, Luís XIV mudou-se para Versalhes e deixou o palácio do Louvre como um local de Exposições de peças da realeza. A Revolução Francesa o transformou em um museu .

A construção da pirâmide em 1989 foi e é ainda uma polêmica. Realmente à primeira vista parece ser um corpo estranho em meio a uma construção do século XVI.

Mas ao conhecermos um pouco da história da França, em especial Napoleão é que poderemos usufruir da magnifica ideia do arquiteto. Napoleão Bonaparte em 1798, invade o Egito. Além das tropas o invasor leva uma comissão 5 de pesquisadores entre eles desenhistas, escritores, tipógrafos, historiadores, tradutores etc. Fez, com sua comissão de artes um levantamento completo das relíquias e tesouros 6 do país. Traz consigo como espolio de guerra, enormes quantidades de obras de arte, retrata o país através de pintores e desenhistas e permite a partir dai a criação de uma ciência para o estudo do Egito: a egiptologia. Um desses tesouros está no centro de Paris, na praça da Concórdia o obelisco.

Para se ter uma ideia da dimensão da empreitada: foi elaborado uma série de documentos chamados “O Description de l’Égypte” (Descrição do Egito), aparecendo pela primeira vez em 1809 e continuando até o último volume em 1829, que ofereceu uma descrição científica detalhada do antigo e moderno Egito, bem como sua história natural. É o trabalho de colaboração de cerca de 160 estudiosos e cientistas civis, conhecidos popularmente como os sábios 7, que acompanharam Napoleão na Campanha do Egito em 1798-1801, como parte das guerras revolucionárias francesas, bem como cerca de 2.000 artistas e técnicos, incluindo 400 gravadores, que mais tarde criaram uma obra completa”.

O Louvre possuiu um dos mais completos acervos fora do Egito de sua arte e sua história. Há no seu subsolo uma ala enorme dedicada a este país que tanto influenciou o mundo e em particular a França.

A paixão pelo Egito, pelos franceses, é que levou o arquiteto Pey a desenhar esta pirâmide na entrada do Louvre, homenageando com um desenho simples uma geração de conquistadores, o país conquistado e sua importante referência para a França e para o mundo. Somente quando olhamos com maior cuidado é que podemos descobrir as belezas que se escondem sobre um objeto que se relaciona com outro com tamanha historicidade. Poucos notam esta relação, mas o arquiteto com sua sensibilidade soube construir um objeto capaz de contar uma bela história para toda a eternidade.

REFERÊNCIAS:

1.Foi um proeminente investidor imobiliário americano. Através de sua empresa de desenvolvimento Webb e Knapp — para o qual ele começou a trabalhar em 1938 e que ele comprou em 1949 — ele desenvolveu uma parcela significativa da paisagem urbana de Nova York. Arquitetos I. M. Pei e Le Corbusier trabalharam para Zeckendorf em alguns de seus projetos.

2. O Prêmio Pritzker é um prémio internacional de arquitetura. Foi criado em 1979 pela Fundação Hyatt, gerida pela família Pritzker, sendo muitas vezes chamado de “o Nobel da arquitetura. É atribuído anualmente ao arquiteto, ainda em vida, que melhor cumpra os princípios enunciados por Vitrúvio: solidez, beleza e funcionalidade.

3. Originalmente do grego a casa das musas.

4.O Louvre foi uma fortaleza construída no século XII, mas perdeu sua função ao ser rodeada pela cidade de Paris. Francisco I a converte em residência real em 1546.

5. A Comissão das Ciências e das Artes era um corpo de 167 cientistas, técnicos e artistas, formado a 16 de março de 1798. Destes, 154 acompanharam Napoleão ao Egito

6. Um desses tesouros foi a pedra da Roseta, encontrada por um soldado de Napoleão. Esta pedra contendo um texto em três línguas, grego, copta e hieróglifos acabou nas mãos dos ingleses. Através de seus textos, é que Champollion, em 1822 decifrou o texto egípcio e possibilitou ao mundo acessar os segredos guardados por milhares de anos.

7. Para ver mais: https://pt.wikipedia.org/wiki/Description_de_l%27%C3%89gypte