É A ARQUITETURA, ESTÚPIDO!

Quando James Carville, em 1992, durante a campanha presidencial de Bill Clynton, criou a expressão “É a economia, estupido” ele estava se dirigindo a autoridade máxima do pais, para chamar a atenção para o principal problema do pais.

A brincadeira na frase lá em cima, tem a mesma intenção, mas não ao dirigente do pais(ainda que ele mereça, assim como todos os outros)mas a uma instancia menor dos poderes que pode ser o RH de uma empresa.

Nota-se a tempos, que a produtividade do trabalhado brasileiro é muito baixa comparada a de outros países, mesmo nos casos onde se comparam economias semelhantes. Em um artigo publicado pelo jornal digital nexo[1], o brasil produz 75% menos que um americano, ou ¼ do que o trabalhador americano produz.

Ao olharmos para as empresas elas parecem pensar no trabalhador como a causa desta baixa produtividade, muito raramente se debita a arquitetura como uma fonte destes problemas.

O Rh pensa que a arquitetura é neutra, é apenas um dado bruto, ao qual eles não imputam responsabilidades. Aí sim podemos dizer é a arquitetura estupido!

A neutralidade da arquitetura por vezes é algo até almejado, na maioria das vezes acontece ao contrário.

Como diria o esquartejador, vamos por partes:

Podemos elencar ao menos 11 pontos sensíveis no ambiente de trabalho:

  1. Ruído
  2. Temperatura e ar condicionado
  3. Cor
  4. Iluminação e insolação
  5. Índice de CO²
  6. Proxêmica
  7. Dimensões e Volume dos ambientes de trabalho
  8. Projetos elétricos, hidráulicos, dados e voz.
  9. Interferências eletromagnéticas.
  10. Ergonomia
  11. Custos e manutenção

Cada item acima tem um grau de responsabilidade no desempenho do trabalhador no seu ambiente. Alguns deles podem afetar a produtividade em até 20%, por hora!!! Junte-se vários e é possível compreender a queda de desempenho.

O RH procura no trabalhador as razões de sua baixa produtividade, que realmente podem estar nas pessoas, depressão, burocracia, demandas e metas exageradas, vícios entre outras coisas podem afetar o trabalhador. Mas ainda cremos que a arquitetura tem parte grande nos efeitos negativos sobre o trabalhador.

Nos próximos post vamos explorar cada um deles.

[1] https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/05/19/Produtividade-do-brasileiro-%C3%A9-baixa.-Mas-o-problema-n%C3%A3o-%C3%A9-s%C3%B3-do-trabalhador